Feeling the magic

Eu ando numa fase meio chef. Estou ME sentindo… comprei um livro, The lost recipe for happiness (que não é de auto-ajuda, fazfavor), em que a personagem principal é uma chef de cozinha e a história acontece num restaurante (óbvio…). Estou pouco depois da metade do livro e estou amando! Não o livro, em si, que é bem normal – daquele estilo feel-good (eu acho!) de ser, saca? -, mas as descrições que Elena (a dita cuja) usa para comida… geeeeeeente, quéquéeeeeeeeeeisso! É algo alucinante… ainda mais quando ela está criando as receitas: ela fecha os olhos e pensa nos ingredientes e monta a coisa toda na cabeça, já sonhando com os sabores.

Vemcá, me diz: que que falta preu ser uma chef? Pergunta retórica! Pergunta retórica! Não precisa começar a enumerar… I got it. Voltando…

Fiquei/estou tão alucinada com essa “explosão de sabores” (que a auora usa mto no livro), que senti um sangue chef nas minhas veias. E pópará de pensar “chef, é? cozinheeeeeeeeeeeeeeeeeira”. Cozinheira o escambau. CHEF! 🙂 Enfim… fui preparar meu almoço ontem com esse sangue chefês nas veias. Já viu o estrago, né? Pois não é que ficou bom? Ficou tão bom que fiz hoje pra Daniel almoçar. E ele adorou. A-ham! Claro que não foi nada muito elaborado, mas ao menos foi bem diferente do de sempre. Fiz um molho de tomate com molho de tomate pedaçudo + pasta de tomate, alho, geléia de pimentão, sal, pimenta-do-reino, pimenta vermelha, coentro seco, orégano e canela. Juntei almôndegas de peru, macarroni e voilà! Tudibom. Sei que não parece. Mas ficou. 😀

Seguindo o espírito, fiz a mesma pro almoço de hj. Só que, cheguei em casa com uma vontade louca, mas assim, LOUCA mesmo de comer bolo de limão. Passei no supermercado, comprei lemones e voltei feliz para casa. SECA pelo bolo. Nem troquei de roupa e fui direto pra cozinha. Mas, devo confessar que minhas vontades loucas não incluem – nunca, jamais – muito tempo E trabalho. Tsk, tsk, tsk. Eis que pego meu super-liquidificador, jogo ovos, açúcar, suco de limão (e laranja… só pra dar o gosto), iogurte e óleo e bato, misturo farinha (com fermento e sal), raspas de limão e essência de baunilha, forno e, tcharaaaaaaaaaaaaaaaaaaaan: 40 minutos depois, sai um bolinho douradinho…

Quero só deixar registrado aqui: HUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMM!!!!!!

Sei, também, que baunilha, limão e iogurte não soam bem… mas combinaram! A única dica que dou é pra usar menos limão. Eu adoro azedinhos, então estou amando. Se vc não gosta, vai com calma. Masa baunilha, fazfavor de usar. Dá um gostinho show.

E aí? O que vc fez pra comer hoje?

Anúncios

4 respostas em “Feeling the magic

  1. Tha
    Me lembrei de um livro lindo que li há algum tempo. Chama-se “Afrodite”, de Isabel Alende. Se quiser mando em português para você. Parece ser no mesmo estilo deste que você está lendo e se inspirando.
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s