Como ir do JFK para Manhattan? Opção 5: serviços de transfer

Como fazer para ir do aeroporto JFK para o seu hotel em Manhattan? Você tem 5 opções, que dependem de seu orçamento, cansaço, e espírito de aventura. Esse é o post da opção 5.

Opção 5: serviços de transfer

Essa é outra opção prática, mas NUNCA usamos um transfer para nos trazer do aeroporto pra casa ou vice-versa. Acho que o serviço de transfer é o mais prático de todos, mas é premium, ou seja, é o mais caro, e por muito.

  1. Ainda em casa, com algumas SEMANAS de antecedência, faça sua reserva online ou via What’s App. Como disse, nunca utilizamos esse serviço, mas pegamos algumas recomendações num grupo de brasileiras que eu participo, então colocarei as recomendações no final do post. São todos brasileiros. A vantagem desse serviço é que você faz a reserva online/What’s App e, no caso das recomendações abaixo, o serviço é prestado por brasileiros, então a comunicação não será problema.
  2. Ao fazer o desembarque, procure pela pessoa segurando uma plaquinha com seu nome.
  3. Chegue feliz no seu hotel.

Resumo da opção 5

  • Custo: O custo não varia muito e é alto. Em geral essas empresas cobram o mesmo valor, cerca de $80-$100 no trajeto JFK-Manhattan.
  • Tempo: não sei, mas em geral ele vai direto para o seu hotel e deve ser a mesma coisa que um táxi, de 45min-1h (ou 2h, dependendo do trânsito).
  • Quem deve escolher essa opção: Quem tiver muita bagagem, estiver cansado, não entender nada de inglês, tiver crianças (avise à pessoa do transfer, pq assim vcs planejam a cadeirinha da criança) e estiver disposto a pagar bem mais por um serviço mais confortável.

Esse post é parte de uma série sobre como ir do aeroporto JFK para o seu hotel em Manhattan. Os outros posts chegam já já!

Opção 1: Metrô

Opção 2: LIRR

Opção 3: Táxi

Opção 4: Shuttle

Opção 5: Translado com brasileiros (esse post)

Recomendações

Pegamos recomendações num grupo de brasileiras que faço parte. Algumas recomendações foram “já usei essa pessoa e adorei” e outras foram “eu faço esse tipo de serviço”. Dividi nas duas categorias. E, mais uma vez: nunca usamos esses serviços, então recomendamos com cautela. Não garantimos absolutamente nada. Os preços aqui são apenas para vcs terem uma noção do valor, mas vcs precisarão combinar o preço com a pessoa. Esse serviço é considerado “premium” e cobra mais caro pelo conforto que oferece aos passageiros. Lembre-se de que os preços informados aqui são apenas para dar uma ideia do custo, mas variam de acordo com a época, demanda, destino, número de passageiros, etc. Todos os preços informados aqui são para o trajeto JFK-Manhattan, em Abril de 2015.

GORJETA: Antes de falar dos serviços, queria falar das gorjetas. Aqui nos EUA, damos gorjeta o tempo todo. Faz parte da cultura do país. Os salários fixos são normalmente mais baixos pq se esperar que o “complemento” do salário venha das gorjetas. Para os serviços de translado, a gorjeta é esperada, mas não é semi-obrigatória (como nos táxis e restaurantes, por exemplo). A maioria das pessoas dá gorjeta quando ficaram satisfeitas com o serviço. Pode ser um percentual ou um troco. Por exemplo, se o serviço foi $100, vc pode dar um percentual a sua discrição (10-20%, já que o serviço é mais caro). Ou vc pode não esperar troco. Se o serviço foi $90, por exemplo, vc pode pagar $100 e não receber o troco. Em todo caso, cabe a vc, nesse caso, decidir. Os motoristas não vão esperar (como os taxistas/garçons), mas é agradável que vc pague.

Caso vc utilize algum desses serviços em sua viagem, por favor, informe ao proprietário que vc pegou a recomendação aqui e, se puder, mande uma mensagem pra gente contando da experiência. Se vcs, leitores, gostarem, estou pensando em fazer uma promoção num futuro próximo!

Serviços recomendados por outras pessoas:

  • Prado Express NYC: A Carol foi recomendada por algumas pessoas no grupo. Ela é proprietária do “Prado Express NYC” e oferece serviços de translado em NY, Miami, Orlando e Rio. Os carros da Carol tem wi-fi (sem custo adicional). Vc pode entrar em contato com ela através de e-mail (pradoexpressnyc@gmail.com), What’s App (+1 (201) 881-5303 ou +1 (201) 428-0244), Facebook (Prado Express)  ou Instagram (@pradoexpressnyc). Custo:
    • JFK-Manhattan: de 1 a 4 pessoas = $100 + estacionamento.
    • LaGuardia-Manhattan: de 1 a 4 pessoas = $100 + estacionamento.
    • Newark-Manhattan: de 1 a 4 pessoas = $100 + estacionamento.
  • AquiNYC: A Carla do AquiNYC também foi recomendada por algumas pessoas. Você pode encontrar mais informações sobre os serviços do AquiNYC no site deles. Os carros da Carla tem wi-fi e são licenciados! O contato com a empresa pode ser feita através do site (www.aquinyc.com), What’s App (+1 (718) 576-0134) ou através dos números locais em diversas cidades do Brasil (ver no site deles). Custo:
    • JFK-Manhattan: 1 a 2 pessoas = $90 + estacionamento.
    • LaGuardia-Manhattan: 1 a 2 pessoas = $90 + estacionamento.
    • Newark-Manhattan: 1 a 2 pessoas = $120 + estacionamento.
  • Emerson Martins: o Emerson é marido da Paloma, que é um amor de pessoa. Ele também foi recomendado no grupo. Os carros tem wi-fi. Você pode entrar com contato com o Emerson por email (emersonmartinsny@gmail.com) ou What’s App (+1 (646) 302-7293). Ele é super-pontual! Custo:
    • JFK-Manhattan: 1 a 2 pessoas = $90
    • JFK-Manhattan: 3 a 4 pessoas = $100
    • JFK-Manhattan: 5 a 6 pessoas = $120
  • Transporte New York: A Ana é proprietária da empresa Transporte New York. Os carros da empresa são licenciados e tem wi-fi, e os motoristas são todos credenciados. Contato pode ser feito através do site (www.transportenewyork.com). Custo:
    • JFK-Manhattan: 1 a 3 pessoas = $100
    • LaGuardia-Manhattan: 1 a 3 pessoas = $100
    • Newark-Manhattan: 1 a 3 pessoas = $130

Serviços informados pelos proprietários:

  • Cid Uheara: O Cid é marido de uma das participantes do grupo. O contato pode ser feito através do Facebook (Cid Uehara) ou telefone (973 766-7769).
  • TransBrazilian: A Rita e o Luiz tem uma empresa de translados, a TransBrazilian. O contato pode ser feito através do site (www.transbrazilian.com) ou e-mail (receptivo@transbrazilian.com).
  • Leco Tour: A Leco Tour, a empresa da Danielle Mota, está a 6 anos no mercado, é legalizada e os motoristas são documentados. Tudo certinho! Vcs podem entrar em contato com a Danielle através do site (www.lecotour.com.br), e-mail (lecotour@live.com) e What’s App (+1 (917) 293-4754 e +1 (917) 515-1202). Custo: 
    • JFK-Manhattan: 1 a 4 pessoas = $100 + estacionamento
    • LaGuardia-Manhattan: 1 a 4 pessoas = $100 + estacionamento
    • Newark-Manhattan: 1 a 4 pessoas = $130 + estacionamento

O que usar em NY em outubro?

Para saber sobre o clima de NY em outubro, dê uma olhada nesse post aqui. Nesse post falamos sobre a temperatura e o que trazer na mala. Em outubro, a temperatura varia entre 10-20 graus, sempre no mesmo padrão: quanto mais cedo no mês, mais quente, quanto mais pro final do mês, mais frio. Manhã e noites são mais frias, tardes são mais quentes. Mas sempre recebemos perguntas (e buscas aqui) sobre como se vestir nessa época. E acho que as pessoas procuram essa informação porém mais no sentido de “como se vestir para a temperatura x”. Como é difícil lembrar exatamente como eu me visto para cada temperatura, resolvi tirar fotos e mostrar.

No instragam postei uma foto que tirei antes de sair de casa hoje de manhã. Estava cerca de 18-19 graus e eu usei um blazer, blusa sem manga (não era regata), jeans, sapatilhas e uma écharpe (um cachecol fininho). Quando a temperatura subiu um pouquinho (20, 21) a écharpe saiu e o blazer foi aberto. Aos 23 graus, o blazer poderia ter saído (e a écharpe voltaria).

Pronta pra 19 graus!

A post shared by Big Apple com Rapadura (@bigapplecomrapadura) on

Fazendo compras nos EUA: OMG os outlets!

Quando nos mudamos, não sabíamos dos outlets e em NYC não tem outlets. Então passamos realmente vários anos desconhecendo esses malls. Sabíamos da existência de um a algumas horas de Manhattan, mas não tínhamos interesse em ir. Quando nos mudamos para NJ, um amigo nos falou sobre os outlets e nos levou a um, e foi ali que descobrimos. Quando morávamos em NJ (e tínhamos carro), íamos ao outlet no começo das estações, para comprarmos as roupas da estação. Os outlets valem muito a pena. Na maioria das lojas (não todas!), os items tem um valor bem abaixo do que você encontraria em lojas da cidade e, principalmente, no Brasil. Apesar de hoje em dia quase não irmos mais aos outlets (acho que vamos 1x por ano, quando visitas querem ir), queríamos dar umas dicas sobre os outlets em NY e no resto do país.

Muitas pessoas vem a NY querendo ir também aos outlets, mas aqui não tem muitas opções. Já ouvi coisas negativas e positivas sobre o Jersey Gardens, que é um outlet shopping que fica em NJ, mais ou menos perto de Manhattan. Se não me engano, existe um ônibus no final de semana que faz o trajeto NY-Jersey Gardens, mas eu não sei absolutamente nada sobre isso: nunca fui a esse outlet, não sei onde fica, não sei como é, não sei que lojas tem lá, não sei onde você pega esse ônibus. Além do Jersey Gardens, o outro outlet nas redondezas é o Woodbury. Acho que o Woodbury é o mais famoso. Ele é o outlet que tem lojas da Gucci e Prada, por exemplo.

Se a viagem não é para NY, a maioria dos brasileiros vai a Orlando (para Disney e compras) ou Miami (para fazer compras). Recentemente temos ouvido falar de roubos em Miami/Orlando. Brasileiros que compraram nos outlets (e seus Macs e iPhones na Apple) tem seus carros e/ou quartos de hotel arrombados e todas as compras desaparecem. Não há quase nada que se possa fazer. Recuperar é quase impossível. Não moramos em Miami/Orlando e não sabemos como ajudar muito em relação a isso (mas aqui tem um post bom falando sobre isso aqui). O que sabemos é que se o seu objetivo é fazer compras, você não precisa ir a Miami/Orlando. A rede mais famosas de outlets dos EUA é a Premium Outlets – a rede que gerencia o Woodbury e os Orlando Premium Outlets, por exemplo – e essa rede tem outlets espalhados pelos EUA quase inteiro! Se você quer apenas fazer compras nos outlets (e Apple, que tem em qualquer lugar), você não precisa ir à Flórida! Deem uma olhada nesse link aqui e vejam quantos outlets existem pelo país. Quem sabe você encontra passagens e hospedagem em preços mais em conta em outros lugares? Como esses lugares são menos turísticos, as quadrilhas que ficam de olho em brasileiros fazendo compras não existem e as coisas ficam mais seguras.

No link acima você pode ver, inclusive, quais as lojas que esse outlet tem! Se você já tem ideia de lojas que quer visitar, basta conferir onde elas estão. As lojas mais comuns, tipo Calvin Klein, Banana Republic, Nike, e Guess, por exemplo, estão em 99% dos outlets. Se você quer Gucci, aí tem que procurar mais.

Outra dica legal para os outleteiros de plantão é o VIP club. Você pode clicar aqui e se tornar membro do VIP club do Premium Outlets. É apenas um registro por e-mail, você não precisa pagar nada. As vantagens de ser VIP são: 1) ter acesso a “vip club offers”, ou seja, você tem acesso a cupons de desconto de várias lojas – tipo 15% de desconto na Levi’s ou na DKNY, $50 de desconto na Neiman Marcus, etc.; e 2) quando chegar no outlet você vai no guichê de informações e diz que é VIP e quer o seu booklet. Eles vão pedir para você assinar e colocar o seu e-mail num formulário e te darão um booklet de descontos (que você pode comprar por $5 se você não for VIP). Esse booklet tem cupons para quase todas as lojas e os descontos são bons, mas um pouco menores do que os descontos do vip club offers no site.

UPDATE 2015: Em alguns outlets, os guichês de “VIP” estão pedindo comprovação de que você é realmente VIP. Você pode imprimir um cuponzinho que tem “VIP booklet” ou algo assim, no site, e levar. Ou então, se tiver um smartphone com acesso a internet, você pode logar na página lá e mostrar a pessoa. Eu iria de cuponzinho impresso.

Outra coisa que queremos falar sobre os outlets: a qualidade. Bom… apesar de muita gente que mora no Brasil discordar, em geral, nós achamos as roupas daqui de baixa qualidade. Ou melhor, de qualidade inferior a marcar de preço similar no Brasil. Mas nós sabemos que roupas no Brasil são bem caras. Daí, se as roupas da Gap normal já não são tão boas, as roupas da Gap outlet são, at best, fracas.

Algumas lojas de outlet vendem ponta de estoque – ou seja, são roupas da loja normal, mas de estações anteriores, sendo vendidas mais baratas. Mas a maioria das lojas vendem peças exclusivas de seus outlets – J.Crew outlet, Banana Republic Factory, etc. Essas peças são feitas com menos cuidado ou com tecidos de menor qualidade, ou com costuras menos reforçadas… e, no final, são de qualidade mais baixa do que o normal. E você não encontra aquele tênis na Nike que você quer no outlet. Você encontra um tênis da Nike que você gosta. Em vez de $125 pelo lançamento da Nike, você vai pagar $75 por um Nike mais antigo ou, mais provavelmente, um Nike que foi feito para o outlet, e feito para ser vendido mais barato mesmo. Você terá o que você pagou. O tênis vai durar, mas não tanto quanto o normal. Acho que isso é mais facilmente visto com roupas que a princípio parecem boas mas depois da primeira lavagem, já era. A camisa polo de $9.99 da Tommy Hilfiger vai durar 5 ou 10 lavagens, se você tiver sorte. Então, se você quer coisas de qualidade, tem que garimpar MUITO por lá.

Por último, minha opinião sobre perfumes nos outlets: não confio. Se você quer pelo menos 95% de certeza que o perfume é original, pague mais caro e compre na Sephora (Sefóra, pipol, Sefóra. A marca pode ser francesa, mas aqui se você falar Séfora ou – pior – Seforrá ninguém vai entender. Aqui é sefóra. Quase um sefóura, com o rah-rah da Lady Gaga) Voltando. Se você não se incomodar com a chance do produto ser falsificado, pode comprar no outlet. Eu ACHO que se for o perfume Calvin Klein na loja Calvin Klein a chance de ser falsificado é muito pequena, mas se é na loja aleatória de perfume, a chance é maior. Não sei. Não confio.

Nós nunca fomos ao Woodbury, mas estamos planejando uma visita – tudo pelo blog! Se formos, faço um post aqui falando como foi.

Clima de Nova York mês-a-mês

Muitas pessoas chegam ao nosso blog buscando por informações sobre o clima da cidade, desde “clima em ny” a “quando começa a primavera em ny” ou mesmo “como é o clima de ny em setembro”. Já falamos um pouco sobre o clima em outros posts, mas como as buscas às vezes são específicas, vou tentar ser específica também. Aqui tem um resumão mês-a-mês, com links para os posts específicos daquele mês. Aparentemente, esse vai ser um projeto longo… Logo, esse post aqui vai ser editado várias vezes…

1. Como é o clima em Nova York em janeiro?

Frio. Bem frio. Janeiro é o mês mais frio em NY. Ao menos, ao longo do mês, a temperatura é relativamente estável, podendo variar entre -10 e 0 graus. Em alguns dias, a temperatura varia menos (-2 a 5 graus), mas ela pode variar bastante, mais de 10 graus (esse ano, variou de 16 durante o dia para -1 à  noite). Nessa época é muito importante saber a temperatura para que você se vista adequadamente. Os dias são curtos (9 a 10h de sol) e pode nevar em alguns dias. Mais dicas sobre o clima em janeiro nesse post aqui.

2. Como é o clima em Nova York em fevereiro?

Hum… tá faltando. Vou escrever em breve. Mas, resumão: muito parecido com janeiro, mas com um pouquinho mais de chance de nevar.

3. Como é o clima em Nova York em março?

Frio. A temperatura não varia muito, fica em torno dos 0-5 graus, podendo ter alguns dias abaixo de zero e outros podem chegar até 12-15 graus (poucos dias). Os dias são longos (11:30-12:30h de sol) e pode chover (~10 dias/mês). Normalmente não neva, mas ao norte da cidade, as estações de esqui ainda estão abertas. Para quem quer esquiar, ainda dá tempo! Mais detalhes sobre o clima de NY em maço aqui.

4. Como é o clima em Nova York em abril?

Eita. Tá faltando. Resumo: Frio (5-18 graus), 13-14h de sol, pode chover.

5. Como é o clima em Nova York em maio?

Ótimo. Friozinho. Resumo: 14-15h de sol, friozinho (10-23 graus), chove pouco.

6. Como é o clima em Nova York em junho?

Friozinho, de 18-23 graus, em média. Alguns dias podem ser mais frios (~12-15) ou mais quentes (~25-30). Os dias são longos (15h de sol) e pode chover (cerca de 10 dias no mês, mas quando chove, chove bastante). Se você está pensando em vir à Nova York em junho, não deixe de ler o nosso post sobre o clima em junho.

7. Como é o clima em Nova York em julho?

Quente. Muito quente. Julho é uma época boa de se visitar a cidade, mas é o mês mais quente do ano. Alguns dias são quentes-bons, mas vários são quentes super-quentes, com 1 ou 2 ondas de calor no mês. Em geral, as ondas de calor duram 3-4 dias (exceto esse ano, quando duraram cerca de 7-8 dias, cada). Nesse dias, a temperatura pode chegar aos 40 graus nas piores horas e as estações de metrô ficam infernais. MAS, apesar do calor, são poucos dias infernais assim. E mesmo quando está quente, em geral os dias estão lindos. Apesar da precipitação média da cidade ser a mesma durante o ano inteiro, em julho pode ter as tempestades de verão. Mais detalhes sobre o clima nessa época, aqui.

8. Como é o clima em Nova York em agosto?

Quente. Assim como em julho, agosto ainda é verãozão em NY mas, em geral, sem as ondas de calor. Apesar da temperatura alta na primeira metade do mês, a partir da segunda quinzena os dias podem começar a nublar. Os dias são mais quentes, com temperaturas variando entre 25-30 graus (praia!) e as noites mais agradavelmente frescas, por volta dos 20 graus. Os dias ainda são longos (14 a 13h de sol) e pode chover em alguns dias, mas temporal mesmo só 1 a 2 vezes no mês. Mais detalhes sobre o clima de NY em agosto aqui.

9. Como é o clima em Nova York em setembro?

Eita, tá faltando também! Mas é parecido com junho: friozinho (15-24 graus, mais quentinho no começo, mais frio no final), chove pouco, dias médios (13 a 12 horas de sol).

10. Como é o clima em Nova York em outubro?

Varia, desde dias quentes a dias frios. A medida que o final do mês vai chegando, mais frio vai ficando. Traga um casaco (leve, tipo moleton mesmo), camisetas, uma bermuda/saia e calça jeans. Alguns dias você pode sair estilo verão, outros dias estilo outono, outros dias, estilo chuva. Os dias vão ficando mais curtos, com cerca de 11:30 (começo do mês) a 10:30 (final do mês) horas de sol. Mais detalhes aqui.

11. Como é o clima em Nova York em novembro?

Frio, mas sempre um frio agradável. Como em outubro, a medida que o final do mês vai chegando, mais frio vai ficando. Traga um casaco médio (ou um leve, desde que você também traga suéters mais pesados), camisetas de manga comprida, um suéter médio (pode ser um suéter de lã fina/média, ou um moletom), e calça jeans. Essas peças permitem que você se vista em camadas – mais camadas a medida em que esfria… Mais detalhes aqui.

12. Como é o clima em Nova York em dezembro?

Frio. É um pouco melhor do que janeiro porque a temperatura média é acima de 0 graus. Normalmente não neva, mas pode nevar mais pro final do mês e chove pouco. Os dias ainda são curtos (cerca de 9h de sol). Se você estiver vindo à NY nessa época, não deixe de ler nosso post completo sobre o clima em dezembro.

O que perguntar e não perguntar ao BAcR

Já repetimos mil vezes aqui que o nosso blog é apenas para a nossa diversão. Começamos o blog para as nossas famílias e amigos saberem um pouco mais das nossas vidas aqui mas, com o passar do tempo, fomos tendo cada vez mais visitas de pessoas fora dos nossos círculos sociais – vocês, queridos leitores – que buscavam aqui dicas sobre NY. Daí, mudamos um pouco a direção do blog, que se tornou mais “utilidade pública”, com dicas para aproveitar mais a cidade.

Adoramos ajudar nossos leitores e tirar suas dúvidas. Várias coisas ficaram mal explicadas nos posts e MUITA coisa não foi nem tocada ainda no blog. Se esse é o caso, por favor, pode escrever sua pergunta/dúvida nos comentários que tentaremos responder. Mas, tenha em mente que nós trabalhamos e estudamos o dia todo, todos os dias da semana, e nem sempre temos tempo de responder aos comentários. Se isso acontecer, dá uma passadinha na nossa página no FB (link no lado direito da página) que talvez lá seja mais rápido. OU eu não respondi porque não quis mesmo. Isso acontece com frequência. Veja porque:

O BAcR (ou melhor, EU) não respondo a perguntas e comentários que…

  1. … perguntam sobre como vir morar ilegalmente aqui. Please, stop asking.
  2. … perguntam como viemos parar aqui. Já contamos essa história. Se é isso que você quer saber, perca um tempinho e procure essa informação nos posts antigos.
  3. … já foram respondidos em posts anteriores. NÃO faça perguntas antes de procurar as respostas nos posts anteriores. Quer saber sobre o clima? Leia os posts sobre o clima. SE você não achar o que procura, seja específico na resposta. “Procurei dicas sobre o clima em janeiro, mas não encontrei.”. Não escreva simplesmente “Como é o clima em época tal?” antes de procurar a resposta aqui. Eu não respondo a perguntas que eu SEI que a resposta está no post. Camon, pipol!
  4. … são mal educados. Nós não temos obrigação de tirar suas dúvidas. Estamos fazendo um favor. Não custa nada ser gentil nas perguntas e comentários. “Favor informar os preços atualizados do táxi”. Oi? a) Vc pode procurar isso na net. E b) se você está com preguiça de procurar, pelo menos peça ajuda com gentileza.
  5. … estão em lugares errados (o que eu entendo como “não li o seu blog, só quero a resposta direto na minha mão”). Não peça dicas sobre uma coisa em posts sobre outra coisa. Quer saber sobre o clima? Faça perguntas nos posts sobre o clima, e não no post do metrô. Quer saber sobre como chegar em Manhattan vindo do JFK? Pergunte isso no post sobre como chegar em Manhattan vindo do JFK e não no post sobre o MoMA.

Muito obrigada pela atenção dispensada. 🙂

Como andar de metrô em Nova York (sem entender inglês) – Parte 5: Identificando trens expressos e locais

Nessa série sobre como andar de metrô em Nova York, já explicamos como comprar o Metrocard (parte 1)como entender o mapa do metrô (parte 2)como decidir qual metrô pegar (parte 3) e como entender as placas no metrô (parte 4). Na parte 5, vamos falar um pouco sobre como identificar os trens expressos e locais.

Antes de causar desespero para as pessoas que acham que vão errar, prestenção: pegar o trem errado não faz mal. Vai te atrasar um pouco, mas assim que você notar que está no trem errado, desça na estação seguinte e pegue o trem certo ou pegue um trem voltando para estação que você estava inicialmente e recomece a jornada. Na maioria das estações é possível fazer a transferência de uptowndowntown de graça, só andando pela estação. Se por acaso você descer numa estação em que isso não é possível ( ou seja, você tem que sair da estação, procurar a estação na direção que você quer ir e pagar outra passagem), você pode pagar uma nova passagem OU você pega o mesmo metrô e desce na estação seguinte para fazer transferência sem pagar passagem. Ficou complicado? Então volta lá e leia a parte 2 dessa série.

Então, na parte 2 falamos sobre o mapa e como a coisa mais importante é sempre saber se você quer ir downtown ou uptown. Depois, na parte 3, demos um “passo-a-passo” de como saber qual metrô pegar e em que estação descer. Então, você já fez isso, mas agora quer saber se você pega o trem local ou expresso.

Imagine a seguinte situação (pega o mapa!): você está na Macy’s (rua 34) e quer ir para o seu hotel, na rua 24, entre a 6a e a 7a avenidas. No mapa, você vê que a estação que você quer descer é a da rua 23, dos trens F e M (linha laranja). Daí, você vê que na estação da rua 34, perto da Macy’s, passa a linha laranja. Yay. Mas aí, você vê que passam os trens B, DF e M. Os trens B e D NÃO param na estação da 23. Logo, eles são expressos e você NÃO quer pegá-los.

Agora, imagine essa outra situação: você está na Times Square (rua 42) e quer ir para a Union Square (rua 14). Você vê as estações próximas à Union Square e vê que as linhas amarela (trens N, Q e R), verde (trens 4, 5 e 6) e cinza (trem L) passam na Union Square. Você vê também que a linha amarela também passa na Times Square. Qual trem você deve pegar? Saber se o trem é expresso ou não, nesse caso, não faz muita diferença, porque os trens passam na estação que você quer descer. MAS, se você sabe que o Q é expresso, você sabe que da Times Square para a Union Square, ele para em apenas 1 estação (a 34), logo, ele é bem mais rápido que os demais.

Então, saber se o trem é expresso ou não não é fundamental. Mas, como identificar os trens?

  1. Leia o mapa do metrô: as estações com bolinha preta são estações onde apenas as linhas locais param. Se você está indo para essa estação, os trens que passam ali são trens locais (ou seja, param em todas as estações naquela linha). Se a estação é uma bolinha branca, é uma estação onde trens locais e expressos param. Trens que param apenas em bolinhas brancas são expressos.

    IMG_20130603_125137

    Nessa foto vocês conseguem ver uma plataforma no meio (onde está a lata de lixo) e trilho dos dois lados da plataforma. Nesse caso, a estação era dividida por direção dos trens (downtown, na plataforma em que eu estava quando tirei a foto, e uptown, a plataforma em que estão as pessoas na foto).

  2. Preste atenção às placas na estação: em algumas estações as plataformas aqui são divididas entre trem local ou expresso. Em estações assim (como a 34-Penn Station, para a linha vermelha), antes de pegar a escada para a plataforma, você precisa decidir que trem (expresso? local? tanto faz? – ps: se tanto faz, vá para o expresso) você quer pegar. Vá para a plataforma do respectivo trem e preste atenção em qual lado (qual trilho) está indo uptown ou downton. Em outras estações, como a Times Square ou a Union Square, as plataformas são divididas pela direção do trem, uptown ou downtown. Em estações assim, você primeiro precisa saber a direção em que você está indo (uptown? downtown?). Vá para a plataforma dessa direção. Agora, você precisa saber que trem(ns) você pode pegar e espere por esse(s) trem(ns).

    IMG_20130603_125112

    Na mesma estação que eu mostrei na foto anterior (plataformas divididas por direção do trem), na mesma plataforma passam os trens expressos, de um lado, e locais, do outro. Daí, antes de pegar o trem, preste atenção na placa em cima dos trilhos.

  3. Fale condutês: quando estiver entrando num trem, preste atenção ao que o condutor está falando. Ele SEMPRE diz se é local ou express, e qual vai ser a próxima estação. Se ele disser express, o trem é expresso :).
  4. Pergunte. Aprenda a falar “local” (lôcal) e express (équispréss) e pergunte a qualquer pessoa na estação. Basta dizer local que eles vão entender o que você quer saber e vão dizer para qual lado você deve ir.
  5. Se, por algum motivo, você estiver no Queens e for pegar a linha roxa (trem 7) ou no Bronx e for pegar a linha verde (trem 6): na sinalização na frente e laterais do trem, se o número estiver dentro de um círculo, ele é local. Se estiver num losango, ele é expresso. Mas aí, se você não estiver pegando o 7 para dentro do Queens ou o 6 para dentro do Bronx, não se estresse com isso.

O resumo é: você já tem tanta coisa pra se estressar quando está viajando, que a última coisa que você quer é mais estresse. Em vez de focar em qual trem é expresso ou não, foque em qual trem eu posso pegar? 

Essa série de posts sobre como andar de metrô em NY (sem entender inglês) foi dividida em 5 partes:

Como andar de metrô em Nova York (sem entender inglês) – Parte 4: aprendendo a ler as placas de metrô

Ok, agora você já comprou o seu metrocard e sabe para onde ir. O desafio agora é entender as placas do metrô e saber para onde o trem está indo. As estações de metrô são bem sinalizadas, então se você prestar um pouquinho mais de atenção, tudo fica fácil.

Revisão: já falamos em outro post, mas é bom relembrar. Uptown significa “cidade alta” e downtown, “cidade baixa”. Ou seja, trens indo na direção uptown estão indo para a parte de cima da cidade, para o norte, e trens indo na direção  downtown estão indo para o sul da cidade. Em Manhattan é muito fácil se localizar porque as ruas são numeradas, e elas crescem para o norte. Ou seja: a rua 14 fica ao norte da rua 13 e ao sul da rua 15. Se você está andando na rua e passa pelas ruas 23, 24 e 25, você está indo para o norte da cidade. Se você passou pelas ruas 32, 31 e 30, está indo para o sul. Ok? Então, se você quer ir para uma rua “maior”, você quer ir uptown. Quer ir para uma rua “menor”, downtown.

IMG_20130916_141119

Antes de entrar na estação: que trens passam aqui? Para onde eles vão?

Antes de entrar na estação, sempre leia as placas do metrô. Na maioria dos casos, as estações dão acesso aos trens indo em todas as direções (downtown e uptown). Esse é o exemplo da foto acima. Mesmo sem entender inglês, você é capaz de ler a placa:

  • Union Square Station: a primeira linha tem o nome da estação, nesse caso, a estação 14 street – Union Square.
  • As letras e números coloridos são os trens que passam na estação (aqui, trens L, N, R, Q, 4, 5 e 6).

Se a estação for all directions ou não tiver informação da direção, significa que você pode entrar na estação e pegar aquele trem indo para o norte (uptown) ou sul (downtown).

IMG_20130817_183411

Se a placa diz apenas uma direção (Uptown & The Bronx; Uptown & Queens; Downtown & Brooklyn; Downtown; Uptown), os trens correndo nessa estação passam apenas na direção indicada. Na foto acima, o trem 6 passa na estação (Spring) apenas na direção Uptown & The Bronx, ou seja, vão apenas para o norte dessa estação (essa é a Spring, então os trens vão para as ruas 14, 23, 42, etc.) Se você quer ir para a ponte do Brooklyn (mais ao sul da ilha), você quer ir para o SUL dessa estação, então, você precisa procurar a entrada que diga Downtown, como na foto abaixo.

IMG_20130817_183311

Dentro da estação: para onde eu vou?

Estações que tem apenas uma plataforma (as que são apenas em uma direção, tipo downtown) são mais fáceis de lidar porque você entra e vai para o único lugar, a única plataforma, e pega o trem. Mas em estações, como a Union Square e Times Square, que em que vários trens passam, preste atenção nas placas! Placas acima das escadas informam as linhas de trens que param naquela plataforma e a direção que eles vão.

Dentro da estação: mudanças previstas!

Apesar do sistema de metrô funcionar 24 horas por dia, 7 dias por semana, nos 365 (ou 366) dias do ano, nem todas as linhas de trem funcionam todos os dias/horas. Por isso, leia as placas :). Não precisa se desesperar e sair procurando placas na estação, mas se você vir uma placa, leia. Se o trem tem mudanças previstas (tipo, para de passar tarde da noite ou no final de semana), as placas são bem visíveis. No exemplo abaixo: nessa estação, no final de semana (weekend) o trem R para na plataforma dos trens N e Q; e tarde da noite (late night), o R não passa na estação (use o N ou Q). 

IMG_20130817_185843

Na plataforma: que trem eu pego?

IMG_20130603_125112

Crie o hábito de, sempre que entrar na plataforma, procurar a placa e ler com cuidado. Mesmo que você acha que sabe, todo mundo erra. É um bom hábito, que, mesmo depois de 6 anos morando aqui, eu ainda tenho. A placa diz várias coisas. No exemplo acima, apenas o trem Q para nesse trilho. Do lado esquerdo, você tem as informações para Manhattan e, do lado direito, informações sobre quando o trem chega no Brooklyn. Lado esquerdo –> direção do trem: downtown & Brooklyn; rota do trem: via Broadway Express (ou seja, o trem vai pela Broadway e é expresso). Lado direito –> direção do trem: to Coney Island (Coney Island é a estação final); rota do trem: via Brighton Local all times (vai por Brighton e é local).

Na placa abaixo: os trens que param nesse lado da plataforma são o N e o R. À esquerda: os dois trens estão indo na direção downtown & Brooklyn. Eles vão pela Broadway e são locais (Lcl). No meio: o N vai para Coney Island (Is) via a Ponte Manhattan (Manhattan Bridge).

IMG_20130820_194352

IMG_20130820_194044

Nesse caso, o R é mais complicado, mas vamos quebrar a informação em partes.

  • Local wkdays & eves to Whitehall St.: o R é local nos dias de semana (wkdays = weekdays) e à noite (eves = evenings) para a estação Whitehall (St. = station).
  • Wkends R via Manh Bridge to Bay Rdg-95 St.: no final de semana (wkends = weekends) o R vai para Bay Ridge-95St. (estação no Brooklyn) via a Ponte de Manhattan (Manh Bridge).
  • No late night R service, take N to 36St, Bklyn for R: não há serviço do R tarde da noite (ou seja, o R não passa a partir mais ou menos das 23h ou meia noite). Daí, se você quer o serviço do R no Brooklyn, pegue o N para a estação 36 (no Brooklyn) e troque pelo R lá.

Quebrando a informação você limita o que você precisa entender. Tipo, se a informação é sobre dia de semana e noite e você está nesse horário, leia. Se a informação é sobre o final de semana e são 3 da tarde da segunda-feira, não tem pra que ler. Pode ser muita informação, mas identifique os pontos principais e só leia o que interessa. Não perca tempo com informações extras.

Esse post faz parte de uma série de 5 post sobre como andar de metrô em Nova York:

Parte 1: comprando o Metrocard

Parte 2: entendendo o mapa

Parte 3: decidindo que trem pegar

Parte 4: aprendendo a ler as placas de metrô (esse post)

Parte 5: identificando trens expressos e locais