Andando de ski (lift)

Não, eu não andei de esqui, até porque é verão e eu não teria como esquiar aqui nem que quisesse. Mas, pela primeira vez em minha vida, andei naquele carrinho que te leva para o alto da montanha (quando vc anda de esqui): o ski lift.

ski lift

Como diabos isso aconteceu? Bem, hoje foi o picnic do Google, que aconteceu num resort de esqui. Foi super legal, mas não estou aqui para falar dele, e sim do carrinho de esqui.

Vocês já devem ter visto mil vezes em filmes (ou andaram, mas lembrem-se de que foi minha primeira vez), mas é mais esquisito do que parece. Não é difícil. É esquisito. Pois bem, os carrinhos (as cadeirinhas, na verdade) ficam vindo e você… bem, você se prepara. Se prepara mesmo, porque elas não param! Quando Daniel me disse eu passei 15 segundos para processar. Como é? Isso mesmo, amigos e amigas da rede globo. O diabo da cadeira não para. Então, é aquela preparação! Você começa a ficar satisfeito que tenham pessoas na sua frente, assim você consegue observar e aprender (?). Opa, menos 2, mas eles pareciam ter experiência… não contam. Hum, agora esses foram meio sem jeito… como é? Tem treinamento? Argh, chegou sua vez! Como era de se esperar, a fila estava absolutamente parada até o momento que você descobriu que a cadeira não iria esperar por você. Depois disso, são 5 cadeiras ocupadas por segundo. Então, chegou sua vez! O segredo é posicionar, sentar e segurar (na cadeira, pra não cair). Posiciona! Puxa a bolsa! Segura as havaianas! Lá veeeeeemmmmmmmm… sentasegurapronto! Foi! Yay! Agora estou lá curtindo a vista, quando a havaiana dá uma balançada. E lá fomos, tentando prender as havaianinhas (legítimas!)… ok, tamo chegando ao topo. “E então, Daniel, como desce?” Hum-rum. Desce do mesmo modo que subiu, ué. Agora a cadeira deve seguir sem o seu corpo. Estamos chegando e o cara já grita de lá “desçam e corram o mais rápido possível”. Como é que é???? E lá você se prepara em 3 segundos, põe os pés no chão (de havaianas, lógico) e sai correndo. Mas tem que correr pra esquerda! E muito, porque Daniel, que estava a minha direita, tem que chegar à esquerda também. Ok… lá vai… preparação… chãohavaianacorrevrum…

Gente, sério! Custa parar esse negócio? Fiquei imaginando o que deve acontecer quando as pessoas estão com seus esquis…

Anúncios

Subúrbio

Nós saímos da “cidade” e viemos morar num subúrbio. O conceito de subúrbio nos EUA é diferente do conceito brasileiro. Aqui, subúrbio são cidades mais residenciais, que ficam próximas a cidades mais comerciais/industriais. Assim, estamos morando em NJ, mas num “subúrbio de NY” – já que NJ não tem exatamente uma cidade grande. Eu acho inclusive que NJ é um grande subúrbio :). Talvez minha classificação esteja errada, mas o importante é haver comunicação, né? Enfim…

Em geral, os subúrbios são cheios de casas e pequenos parques. Em bom português, MATO. Sabe aquela coisa de filme de terror, que a casa da mocinha fica no meio do nada? É meio assim. As casas têm uma certa distância umas entres as outras e, em alguns cantos, essa disância é preenchida com árvores. Muitas árvores. Já andamos à noite por aqui, em ruas completamente esquisitas: quase sem iluminação, árvores margeando a pista (mão dupla, 1 faixa para cada, apenas), e casas escondidas. De dia elas não estariam tão escondidas, mas, à noite… fiquei imaginando se em época de chuva essas casas não se enchem de mosquitos… 🙂

Nós moramos num dos campus da universidade em que estudo, a Rutgers. A universidade toda é cheia de parques, com banquinhos, espaço para picnic, etc… onde moramos não é diferente. Além dos parques abertos, estamos pertinho de uma reserva florestal e de… mato. Não é mato no sentido da palavra… mas é um bando de árvores… mini “reservas”. Dito isto… os campus são cheios de patos… e gansos. Já vimos 3 vezes (1 vez juntos, 1 vez separado, cada, o que conta como 3 vezes, certo?) um animal que parece um castor. Ainda não conseguimos identificar o que é… e, hoje, pela primeira vez, estava indo pra academia quando vejo um…veado!!!! Assim, na maior, passeando pelo campus!!!!! Parecia o bambi (é naaaaaaaada!!!!).

Nós moramos pertinho de animais silvestres!!!! Espero que não me apareça um urso! (É sério. Mães, não comecem a se desesperar, mas já vi vários casos no jornal, onde as pessoas – em NJ, claro! – estavam na cozinha ou na sala, e ouviam barulhos do lado de fora… quando iam ver, ursos, procurando comida. hehehehehehe Ainda bem que moramos no primeiro andar!).